badge respira futebol

quinta-feira, janeiro 08, 2009

Memória curta

No momento em que escrevo estas palavras, Filipe Soares Franco acaba de afirmar que o jogo do Benfica contra o Estoril no Estádio do Algarve foi um exemplo "legítimo" de uma situação em que houve "tráfico de influências". Está no seu direito.

Como eu estou no meu, de dizer que este Presidente ressabiado tem a memória curta - clicar aqui.

5 comentários:

Vitor B disse...

É o chamado http://estudass.es :P

RA disse...

spammer :P

tmendes disse...

querer comparar um jogo que decide um título com uma eliminatória da taça é pura hipocrisia, há que ter coragem para admitir os factos. O benfica beneficiou com a alteração do local do jogo, o Veiga tinha um conflito de interesses ao ser da estrutura directiva do benfica e accionista do estoril e existiram casos suficientes no jogo para deixarem muitas dúvidas sobre a prestação dos jogadores e treinador do estoril claramente condicionados pelos seus patrões todos ex dirigentes benfiquistas. Este campeonato é que deveria ser investigado pelo senhor ricardo costa, mas o benfiquista de V.N de Gaia poderia não gostar do que iria encontrar.

RA disse...

Os jogos poderão ter sido para competições diferentes (e sabe-se a importância que a Taça de Portugal tem tido para o Sporting...), mas o princípio é o mesmo. Queria falar-se de métodos menos correctos, apenas contrapus com outro facto.

Considere hipocrisia à vontade, está no seu direito.

Quanto ao jogo do Estoril, não foi aquele que o Benfica apenas conseguiu vencer num canto, a poucos minutos do fim?
Pois...

Ivan Trier disse...

tmendes,

o Benfica precisou de suar (e muito!) para vencer o "famoso" jogo no Algavre, frente ao Estoril; ninguém facilitou, ninguém estava emprestado nem se lesionou nas vésperas da partida - como já esta época por diversas vezes aconteceu entre um denomidado "grande" e os seus aliados. E toda a gente se recorda das declarações de desagrado do ex-técnico do Estoril Lito - mas nem por isso alguém o limitou ou impediu de trabalhar.

E o "caso" de que o RA fala não teve nada a ver com uma eliminatória da taça; o jogo com o Pampilhosa serviu, isso sim, para "limpar" o castigo do Liedson que, assim, pôde defrontar o Benfica para um jogo do campeonato.

Hipocrisia é não admitir que, em 2004/2005, o Benfica tinha e FOI DE FACTO a equipa mais regular ao longo da época e, por isso, mereceu vencer o campeonato; fomos melhores - o que por acaso tem sido raro (ou mesmo único) nos últimos anos, o que parece que vos custa mais a vocês, não benfiquistas, do que a mim, benfiquista.

tmendes volta a não ter razão quando diz que os casos não são semelhantes: em ambos, Estoril e Pampilhosa "ganharam" a época; só que, no primeiro caso, a receita disse respeito à legítima bilheteira pertença do clube da casa; no segundo não.