badge respira futebol

terça-feira, dezembro 23, 2008

Benfica não descola

Benfica 0 - 0 Nacional
(Cardozo...)



O Benfica voltou a empatar em casa, pela segunda vez consecutiva. Se, contra o Setúbal, o Benfica se pôde queixar de um golo mal anulado a Suazo, contra os insulares alvinegros a equipa de Quique poderá ter motivos de queixa por causa de um golo mal anulado a Cardozo (logo com o pé direito!).

Tal como Luisão (que grande exibição) apontou no final do jogo, o Benfica deveria ter feito mais ao longo do jogo - viu-se um "medo" de ser feliz que prendia os movimentos dos jogadores. Yebda foi um caso flagrante da "borra" que dá a certos jogadores em momentos decisivos. O franco-argelino falhou passe atrás de passe, quebrando a dinâmica ofensiva da sua equipa e provocando perigosos desiquilíbrios defensivos.

O jogo poderia ter dado para qualquer um dos lados, até que o Benfica conseguiu a superioridade numérica com a expulsão de Alonso pela persistência de Maxi Pereira (!). A partir desse momento, foi uma pressão sufocante por parte do Benfica, que ainda assim não conseguiu facturar.

O momento do jogo estava reservado para os 91 minutos, quando Miguel Vítor, em queda, é acertado por um alívio do Nacional. A bola sobra para Cardozo, que marca golo - que o árbitro anula, por considerar mão-na-bola por parte do jovem português que acabava de ser atropelado. Se o árbitro considera que "aquilo" é falta, então o lance nem deveria ter chegado tão longe - um par de segundos antes, um jogador do Nacional tinha contacto semelhante com o esférico! Isto é gozar com quem trabalha durante uma semana para fazer mais que os adversários.

Numa jornada em que o FC Porto foi claramente beneficiado (a equipa de Jesualdo teve dois penalties perdoados), o Benfica voltou a ser prejudicado. Eram "apenas" mais 7 pontos (+4 para o Benfica, -1 para o FC Porto, fora a vantagem de 2 pontos) que o rival do Norte - é muita fruta!

Ler o veredicto do Tribunal d'O Jogo.




segunda-feira, dezembro 22, 2008

Regresso ao passado

«O árbitro Duarte Gomes terá dado conta, no seu relatório, de toda a confusão ocorrida no final da partida e da qual se destaca uma agressão ao motorista dos árbitros que levou à identificação, por parte da polícia, do assessor de imprensa do FC Porto, Rui Carvalho.

As trocas de palavras azedas entre vários elementos das equipas começaram à entrada do túnel, onde o delegado do Marítimo, Jacinto Vasconcelos, se desentendeu com elementos do “staff” portista perante o delegado da Liga, Manuel Armindo, que se encontrava no local.

A agitação prosseguiu no túnel e, a dada altura, a equipa de arbitragem fez sinal de que seria necessário desimpedir aquele espaço para serem criadas condições de abandonar o relvado.

Segundo fontes do Marítimo, Nuno e Stepanov foram dos jogadores mais exaltados do lado azul e branco.

O episódio mais insólito, porém, verificou-se nos bastidores do Dragão, no corredor onde ficam estacionados os veículos dos árbitros. O motorista designado pela Liga para transportar Duarte Gomes e seus pares, funcionário de uma empresa de aluguer de automóveis, foi instado a abandonar a zona dos balneários, o que fez na companhia de um “steward”.

Todavia, já junto ao veículo, foi agredido pelo assessor de imprensa portista, Rui Carvalho, gerando-se um tumulto que levou a polícia a comparecer no local. Alega o funcionário dos dragões que foi provocado e insultado. A dada altura, até a porta da sala de imprensa foi fechada.
»
- Record
Há coisas que nunca mudam. Já dizia Jesualdo que estava «toda a gente assustada com a possibilidade do FC Porto ganhar qualquer coisa».

Nota-se. Até tremem com a probabilidade de não ganharem nada!

...hoje joga o Benfica!

Quinze anos é muito tempo. Ate eu, que ainda sou um puto, ainda me lembro da última vez em que o Benfica foi campeão de Inverno - e isto faz-me sentir velho!

Rui Santos meteu o dedo na ferida, no "Tempo Extra" de ontem (e doeu) - o Benfica dos últimos 20 anos tem roçado a mediocridade. Três campeonatos, três taças, três supertaças. É muito pouco.

Não chega fechar o ano em primeiro; Quique poderá dar aos benfiquistas uma prenda de excepção, esta noite - quatro pontos de avanço sobre Leixões e FC Porto, cinco sobre o Sporting.

Força, Benfica! Rumo ao título!

sexta-feira, dezembro 19, 2008

Benfica de segunda volta a desiludir na Taça UEFA

Taça UEFA
Benfica 0 - 1 Metalist



O Benfica europeu voltou a desiludir, com nova derrota na Luz - desta vez, contra uns ilustres desconhecidos da Ucrânia. Quique montou um "onze" recheado de segundas escolhas, um claro sinal de que não pretendia correr atrás da ilusão de ver a sua equipa facturar por oito vezes contra uma equipa que ainda não havia sofrido golos para a Taça UEFA.

Apesar do destino da equipa na competição, o Benfica até realizou uma exibição mediana e as pouquíssimas pessoas que foram até ao Estádio da Luz puderam assistir a bons momentos de Felipe Bastos (boa meia-distância, postura forte, alguma técnica), enquanto outros jogadores desiludiram, como o estático Cardozo, o desafinado Urreta ou o constante Bynia. Houve oportunidades de golo, mas Nuno Gomes voltou a falhar, assim como o paraguaio e o jovem uruguaio.

Quique já terá dado o seu murro na mesa no balneário, se nos basearmos nas indicações que deixou na conferência de imprensa. Não há resultados se não houver exigência.

À turma da Luz resta o campeonato, onde a consistência e a regularidade têm sido a chave para a actual liderança. Se ganhar ao Nacional, na segunda-feira, o Benfica fechará o ano como líder (algo que já não acontece há... demasiado tempo). Entretanto, a Académica empatou o Sporting com um suado "nulo" (enorme Peskovic), e Jesualdo já comenta que o mundo treme e se assusta com a probabilidade de o Porto vir a ganhar o que quer que seja, esta época. É o chamado "cantar de galo" por parte de quem já se saiu mal com as suas metáforas pouco higiénicas (para o próprio), e apenas chegou ao topo com a idade que chegou. Não lhe retiro mérito, mas seria preciso ser muito mau treinador para não conseguir ganhar o que quer que seja, no FC Porto das últimas décadas...

PS: Se dantes havia o chamado "golo à Quim" (guarda-redes adiantado, remate alto, guarda-redes batido) , agora teremos os "golos à Moreira" (jogador sem reacção tenta defender com o olhar). Quim teria defendido aquele remate... à queima-roupa, o n.º12 é impecável.

quinta-feira, dezembro 18, 2008

Hoje não é um dia qualquer!



Hoje joga o Benfica!

Que seja um bom treino... Força, rapazes!

terça-feira, dezembro 16, 2008

O Benfica (já não) presta

Depois de ter sido colocado nos píncaros por muito boa gente, parece que essa mesma corja com borderline delibera que o Benfica é um flop (e já não presta), que Rui Costa não planeou a época como deve ser (e já não presta), que Luís Filipe Vieira anda a mandar recados ("e bem!!!") porque a época já está falhada (e já não presta), que Quique não preparou bem a equipa para o jogo contra o Leixões (e já não presta), que o apanha-bolas... por aí em diante.

A maior incineradora dos sonhos do Benfica são os próprios adeptos.
Eu mantenho-me fiel.

Sempre contigo, Benfica.

segunda-feira, dezembro 15, 2008

Benfica falha outro objectivo da temporada

Taça de Portugal
Leixões 0 - 0 Benfica
(5-4)



O Leixões afastou o Benfica da Taça de Portugal, tendo mostrado superioridade no desempate pela marcação de grandes penalidades. O jogo foi bastante renhido, apesar da latente falta de oportunidades claras de golo - a melhor terá pertencido a Nuno Gomes, que não conseguiu facturar (terá sofrido falta?) perante Beto.

Assim, a turma de Quique vê-se arredada de um dos objectivos realistas para esta época - a Taça UEFA era mais sonho que outra coisa. Confesso que gostava de ver o Benfica novamente no Jamor (é o clube com o melhor registo da prova), mas a equipa dos «milhões» não se conseguiu superiorizar à equipa dos «tostões» de José Mota e Companhia.

Reyes falhou o penalty decisivo e mostrou uma azia que gostei de ver. Já não adiantava de nada, mas é demonstradora de uma raça e um inconformismo que vinha a faltar pelas bandas da Luz. Um jogador que não gosta de perder é um excelente motivador para os restantes colegas - veja-se a discussão entre Suazo e Yebda no jogo contra o Setúbal.

Do mal, o menos - que a equipa de Matosinhos ganhe o caneco.

quinta-feira, dezembro 11, 2008

Ainda a vírgula de David Luiz

Acho que este gajo está a falar a sério:

«Carlão (assim é conhecido) é outro dos ex-treinadores de David Luiz. Que não ficou espantado com a vírgula. Ou melhor, o elástico que Rivelino inventou no Mundial de 1970, que Isaías trouxe para o Benfica e que Ronaldinho Gaúcho tantas vezes utiliza para dar show de bola.»
- Record

Houve outro Isaías no Benfica?

Hoje *é* um dia qualquer...



HOJE JOGA O BENFICA!
*mega-argolada*

De resto, o presidente falou.

O presidente encarnado anunciou ontem que, brevemente, o emblema da Luz jogará às 16h00, e com transmissão na Benfica TV. "Faremos uma experiência a transmitir um jogo às 16h00 e com certeza teremos muitos adeptos na Luz. Não faz sentido os adeptos irem às 21h00 de um domingo para o estádio, muito menos nos jogos fora ser a mesma coisa", rematou.
Acho bem. É uma vontade de muito boa gente. Ninguém deixará de ver o Benfica pela TV, e muito mais gente aproveitará para ir ao estádio.

Luís Filipe Vieira lançou ontem um ultimato ao presidente da Federação Portuguesa de Basquetebol (FPB), Mário Saldanha. "O estádio é nosso, o estacionamento é nosso, tudo é nosso, e querem proibir-nos de transmitir no nosso canal os jogos para os nossos adeptos? […] Recebi uma carta do presidente da FPB e quero dizer que o Benfica defenderá os seus direitos. E também que não temos litígio nenhum com a Sport TV nem com a ZON. O presidente da FPB deve estar muito mal informado e quero dizer-lhe que, ou há jogos no nosso canal, ou o basquetebol extingue-se por completo!", vincou.
Não me agrada a ideia de extinguir uma modalidade. Mas de que vale ter uma modalidade que não pode ser divulgada aos próprios adeptos do Benfica, quando os encontros se disputam em casa do Benfica?! Só serve para terceiros... e a caridade tem limites.

PS: O Benfica joga hoje, Quinta-Feira, para a Taça UEFA. O próximo jogo é já Sábado. Das duas, uma: ou o Benfica coloca uma "equipa-B" para o jogo de hoje, ou a "equipa-A" ressentir-se-á no Sábado. E eu quero que o Benfica ganhe a Taça de Portugal. Hm...

Portugal nas competições europeias

O FC Porto e o Sporting conseguiram a proeza inédita de conseguirem que Portugal tivesse duas equipas apuradas para a fase de eliminatórias da Liga dos Campeões.

Se a campanha dos nortenhos não surpreende ninguém (ok, talvez não se contasse com o primeiro lugar do grupo), já o Sporting foi uma agradável surpresa (mais pelos pontos que amealhou do que pela qualidade das exibições), ao conseguir ganhar todos os jogos excepto os confrontos com o Barcelona.

É aqui que reside a diferença entre estas duas equipas. O FC Porto terá maior estofo europeu para aguentar a violência dos embates contra os "segundos classificados" (de primeiríssima linha do futebol europeu); já para o Sporting talvez seja melhor rezar por um duelo contra gregos (logo esses...), pois as restantes equipas são todas "Barcelonas".

No que diz respeito ao meu Benfica: quem marca seis, marca oito! Brinco... resta sair desta competição com uma réstia de dignidade e apostar tudo na Liga e na Taça. Ainda assim, FORÇA BENFICA!

quarta-feira, dezembro 10, 2008

Ai, Jesus!

Não toquem no minino!

É desta...



...que o canal Benfica TV arranca. Felizmente, vou mudar para Meo 16 megas;

...que me vou fazer sócio do Benfica. 25 euros? Só? É desta!

Antes e agora



terça-feira, dezembro 09, 2008

Benfica agarra a liderança à segunda tentativa

Liga Sagres
Marítimo 0 - 6 SL Benfica

(Reyes, Suazo, Luisão, Suazo, Nuno Gomes, Nuno Gomes)



O Benfica conseguiu aniquilar a estatísticas mais pessimistas para o jogo do caldeirão dos Barreiros: a equipa insular nunca tinha sofrido um golo em casa, e apenas tinha sofrido cinco golos em todo o campeonato.

Depois de uma boa entrada dos encarnados (que jogaram com o genérico "branco"), a que os maritimistas responderam com defesas de enorme categoria, Suazo conseguiu arrancar um penalty que marcaria o jogo. O hondurenho consegue inventar perigo com a sua velocidade, e provocou a expulsão de Marcos, talvez o melhor jogador do Marítimo dos últimos anos.

Com a expulsão do guardião madeirense, tudo ficou mais fácil para o Benfica. Depois do penalty exemplarmente batido por Reyes (a reagir da melhor forma às provocações que foram uma constante ao longo de todo o jogo), o Benfica soube jogar com mais um jogador. Mesmo durante o período de igualdade numérica, notou-se que a equipa de Quique Flores é "outra" quando joga com os jogadores de créditos firmados de que dispõe.

Em relação aos jogadores do Benfica: Suazo é um jogador galáctico para a liga portuguesa; Aimar ainda não está nas condições físicas ideais; David Luiz teve um pormenor delicioso a anteceder o cruzamento para o último golo do jogo; Quim ficou em casa - e bem -, mas deve regressar ao banco no próximo jogo. Moreira esteve bem nas poucas intervenções em que teve de mostrar serviço, mas não penso que seja o número 1 de que o Benfica precisa.

Para não variar, Quique deu mais um exemplo de classe e humildade em mais uma conferência de imprensa plena de lucidez.

Só tenho pena do empate contra o Setúbal. Caso o FC Porto ganhe o jogo que tem em atraso, o Benfica está a meros quatro pontos do 4º lugar...

quinta-feira, dezembro 04, 2008

Acho que este gajo não estava a gozar

«Não deixa de ser curioso que os três Bolas d' Ouro portugueses tenham efectuado a formação no Sporting.
Eusébio, Figo, Cristiano Ronaldo, O primeiro no Sporting de Lourenço Marques os outrs no Sporting de Portugal.»
Juro que li isto num comentário da blogosfera. Não dá para estar mal-disposto hoje - já me ri tanto...

Eusébio esclarece

«Muitos ainda dizem que fui roubado pelo Benfica, mas foi ao contrário. O Sporting é que queria raptar-me, mas não conseguiu porque não gosto nada do Sporting. Sou benfiquista.»
- Eusébio da Silva Ferreira
Se tiverem dificuldades em perceber, leiam mais devagarinho...

Uma verdadeira pechincha

«O Benfica adquiriu os restantes 50% do passe de David Luiz ao Vitória da Bahia numa operação conduzida pela SAD encarnada nos últimos dias de Novembro. O negócio fez-se por valores semelhantes aos que envolveram os da compra da primeira tranche dos direitos do jogador, em Janeiro de 2007. A saber: 1,2 milhões de euros.»
- Record
Apesar das últimas exibições/atitudes por parte de David Luiz, este jogador é daqueles que não enganam - com o treino (psicológico-tactico) adequado, o brasileiro poderá representar uma mais-valia (pelo menos) para o Benfica. Rui Costa continua a dar cartas...

Piços!



Desculpem-me o vernáculo, mas é o que dá vontade de dizer, depois de ver o jogo de ontem.

Aqui fica o resumo, pel'A Bola:

«O AC Milan esteve em vantagem no marcador, após o golo do goleador Shevchenko, mas a expulsão do brasileiro Emerson, após ter recebido dois amarelos, acabou por ser determinante. A jogar com 10 unidades o colosso italiano viu o conjunto romano a empatar perto do fim por Zaraté, após ter marcado com sucesso uma grande penalidade.»


Acrescente-se que Ronaldinho (o novo RG, Ronaldo Gordo) só não foi expulso porque o árbitro não viu uma agressão do brasileiro a um jogador laziale.

Nélson Évora sem rodeios


«Comemorei a medalha junto dos que mais gostava e, se alguém se aproveitou disso para dar a sua opinião, esperei o tempo certo para mostrar o que pensava. Devia ter vergonha e admitir o seu erro, porque nós também assim temos de fazer quando erramos, somos nós que damos a cara no final da provas.»

«Estou a dirigir-me directamente ao comandante, sem dúvida. Embora eu já estivesse um pouco magoado antes da minha prova em relação a tudo o que se estava a passar, mantive-me concentrado e focado no que tinha a fazer. Tudo correu bem e esperei pelo momento certo para falar.»

«A posição da Federação é a mesma que a minha. Estou bem a par dos acontecimentos»

«Sinto que os Jogos foram uma viagem de barco numa nau sem comandante. Estivemos por nós próprios desde o início até ao fim. Não tivemos reuniões prévias, informaram-nos mais ou menos das coisas, tivemos de perguntar uns aos outros onde é que era o quê e para que servia
- Nélson Évora
Coisas que o estatuto permite... e ainda bem!

quarta-feira, dezembro 03, 2008

Eu punha o Quim a jogar...

Não concordo, agora que tenho tempo e clareza para reflectir – depois do choque e frustração da última segunda-feira –, com a maioria das análises e soluções ditas e escritas, pessoalmente ou em textos, sobre o jogo com o V. Setúbal e o próximo com o Marítimo.
Eu gostava que Quique Flores desse mostras de confiança a Quim, colocando-o a titular no caldeirão dos Barreiros. Quim atravessa um mau momento de forma e de confiança, isso é inegável. Mas é, à distância, o melhor guarda-redes do plantel do Benfica e, quase sem concorrência, o melhor guarda-redes português.

Quim já provou, vezes sem conta, qualidade acima da média – e está enganado quem afirma, continuada e repetidamente, que ele nunca atingiu um lugar na elite dos grandes guarda-redes. É titular do Benfica há cinco épocas consecutivas – mesmo contra a maioria moreirista e maldizente. E "salvou-nos", tantas vezes: cambada de ingratos!

É, actualmente, titular da selecção nacional (?), depois de meses e anos à espera, no banco de suplentes, por uma mais do que justa oportunidade. Não "matem", no interior do próprio Benfica, o sonho do Joaquim, em continuar a representar o seu país – porque, apesar de todos os seus defeitos, um reservista não será convocado (e bem) com Carlos Queiroz.

Quim deve jogar! Porquê? Porque é o melhor! Quim já mostrou qualidade, física e mental, para superar fases bem mais complicadas do que esta. E colocado à prova vai conseguir – tenho a certeza! – dar provas disso mesmo. Já o tal estatuto de "protecção" especial, inventado por alguns treinadores para justifcar opções técnicas polémicas – por entre as bancadas –, não serve para aqui; no Benfica deve jogar quem tem qualidade e está preparado para o fazer: é algo mais como "ou se tem ou não se tem". Quim tem tudo isso e muito mais!

p.s.: Quim é um atleta e profissional exemplar, o que nem sempre é tido em consideração; ou seja, sempre contribuiu por um Benfica melhor, ao contrário de muitos outros. É um "capitão", para simplificar e arrematar as coisas.
p.s.: eu gosto muito de ler blogs. Também gosto de escrever embora, realisticamente falando, nem sempre o consiga com a mestria desejada. Entretanto, vou aprendendo qualquer coisita por aqui. Por entre lágrimas, esquecem-se logo do Quim e do V. Setúbal e (re)descobrem o Benfica e o benfiquismo.

Todos temos direito a uma teoria (da conspiração)

Já tinha alertado para isto – se estiver a ser paranóico digam-me. As ausências de Wesley, do Leixões, e Marcelinho, da Naval, melhores marcadores das respectivas equipas, nos jogos frente ao FC Porto voltaram a alertar-me para as alianças mantidas, ora por FC Porto ora por Benfica, no principal campeonato português.

A situação do último fim-de-semana – e que me é mais próxima do que as anteriores – esclareceu grande parte das dúvidas que mantinha em relação a este assunto. No jogo FC Porto-Académica não podem passar em claro as ausências, do lado da equipa de Coimbra, do defesa Edson (jogador emprestado pelo FC Porto) e do médio Nuno Piloto, que, segundo alguns jornais desportivos, terá ficado de fora por ordem expressa do presidente do clube, José Eduardo Simões, na sequência das negociações (pelos vistos falhadas) de renovação do seu contrato.

Estas alianças; estas ausências, por lesões duvidosas (normalmente sofridas em treinos, longe da vista de jornalistas e adeptos) e temporárias; esta submissão de metade das equipas da Liga (como pagamento aos empréstimos do defeso), são nada mais do que uma nova forma de batotice, onde se define, fora das quatro linhas, quem pode ou não defrontar os dragões de Pinto da Costa.

p.s.1: entretanto, Sandro, “capitão” do V. Setúbal e ex-jogador do FC Porto, foi bem expulso no jogo com o Benfica; e na altura, certa, mesmo a tempo de cumprir castigo na recepção ao FC Porto. Falta aguardar, até ao próximo fim-de-semana, pelo anúncio da lesão de Bruno Gama e/ou Leandro Lima.

p.s.2: lamento, profundamente, ver a Académica, instituição com que aprendi a defender outros valores, que não apenas o “bola na rede”, associada a esta instituição. Mas as pessoas vão… e a Académica fica! É tudo uma questão de tempo.

terça-feira, dezembro 02, 2008

Ambição =/= Pressa

Liga Sagres
SL Benfica 2 - 2 Setúbal
(Katsouranis, Suazo)



É fácil culpar Quim pelo desaire encarnado de ontem. Afinal de contas, foi ele quem falhou no último lance de perigo (contra o Benfica) do jogo.

É fácil esquecer que a equipa apenas jogou 20 minutos de bom futebol, que bem poderiam ter chegado para garantir a vitória.

É fácil apontar o dedo a quem já leva 13 golos encaixados nos últimos três jogos, como se tivesse jogado sempre sozinho (por vezes, parecia...).

É fácil esquecer que a defesa do Benfica tem um par de médios-interiores adaptados às faixas laterais da defesa, que isso é resultado de um mau planeamento - o dinheiro não chega para tudo - e que isso tem um preço.

É fácil esquecer que a zona central da defesa dos vermelhos está desfalcada do seu jogador mais experiente, e que teve de se remendar com dois jovens que, apesar de promissores, ainda dão muito espaço para o avançado armar remates e criar perigos para o guarda-redes.

Não é fácil esquecer que, tivesse sido validado o lance que (...em primeira instância, teve o aval do árbitro para ser legal e que, para todos os efeitos...) ampliaria a vantagem do Benfica para dois golos, a turma da Luz seria líder do campeonato.

O Benfica mantém as distâncias para o líder Leixões, mas perdeu dois pontos para os rivais históricos. Não exijo pressa; exijo ambição.

A culpa não é só do guarda-redes do Benfica, mas chegou a hora de experimentar outra solução na baliza, evitando Quim o desgaste que queimou Ricardo. Nada de mais natural - quando um avançado não marca, experimenta-se um que facture, poupando-o à vergonha dos assobios, sempre que falha; quando um defesa dá fífia atrás de fífia, faz-se o mesmo, e assim por diante...

Eu voto no Moretto. Call me crazy.

Não tenho título para isto

"Evidentemente que não é falta, mas de onde o árbitro vê o lance era penalti."
Guilherme Aguiar, comentando a grosseira simulação de Lisandro que nem resultou em penalty (como não devia), nem em cartão amarelo para o jovem actor (como devia).
Descaradamente roubado daqui.

Parabéns, Cristiano!



Cristiano Ronaldo ganhou a Bola de Ouro 2008, o mais prestigiado troféu individual que um jogador de futebol augura receber.

Depois de uma época 2007/2008 absolutamente perfeita a nível de clubes, em que marcou mais de 40 golos, o madeirense junta-se a Eusébio e Figo como os únicos portugueses que receberam tamanha distinção.

Ainda me lembro, como se fosse ontem, do dia em que Ronaldo afirmou publicamente que o seu sonho era ser "número um", o melhor jogador do Mundo. Lembro-me dos comentários paternalistas de então, e confesso que fiquei surpreendido pela forma como ele o afirmou - o puto estava a falar a sério!

Daí que (quase) compreenda a arrogância como vinha reclamando do prémio, como se alguém, de repente, se tivesse esquecido da brilhante época que fez, apesar de uma participação decepcionante no Europeu. O jogador não tem os lobbies de outros, pelo que fez pela vida.

Mais uma vez, parabéns. És o maior, e um orgulho para o país.

Agora cála-te e joga.

sexta-feira, novembro 28, 2008

Sogno de bambino...

«Gosto do estilo de jogo do Manchester United. É o clube onde quero jogar um dia. Estive a um passo de me mudar para o futebol inglês, mas a proposta era do rival, o Manchester City. O meu coração disse-me para escolher o Steaua»
Tiago Gomes, ex-Estrela da Amadora

Nem de propósito!

Liga Sagres
Leixões 1 - 1 Naval



Nunca estive tão ansioso por uma segunda-feira.
Venha a liderança, pois então!

A voz dos outros

«Sei que muitos não concordarão comigo mas isso nunca condicionou a minha opnião, por isso digo, em alto e bom som, que levámos uma tareia das antigas porque temos um guarda redes mediocre. Sim, um guarda redes mediocre. Quim tem, para mim, culpas em 4 dos 5 golos sofridos. Se foram frangos? Talvez não, mas eu exigo que o guarda redes do Benfica faça muito mais do que Quim fez nestes 4 lances. Se tiverem estômago para tal revejam os golos e podem observar que o primeiro e o quarto golos são lances em que a bola cruza a pequena área, zona onde o guarda redes é dono e senhor, e como costume, Quim é incapaz de ganhar o lance, ser autoritário, ser rápido e decidido a sair à bola. No segundo golo temos aquilo que eu apelido desde há muito um "golo à Quim", o nosso guarda redes, como é habitual, está adiantado e um simples remate alto em direcção da baliza é sempre golo. Sempre. Já sofremos tantos golos assim que irrita. No quinto e último golo aconselho vivamente a verem e reverem a forma patética como Quim sai à bola, quase que pedindo por favor para o jogador grego não chutar a bola. Patético. Mediocre. Enquanto for este o guarda redes do Sport Lisboa e Benfica não seremos capazes de dar o salto qualitativo que todos ambicionamos.

A defesa falhou muito podem argumentar os defensores de Quim e terão toda a razão nesse facto, mas com Quim na baliza se a defesa falha é golo. Tão simples quanto isso. Quim só defende bolas à baliza rematadas de frente e se não forem muito altas, de resto "papa" tudo.»
in magicoslb.blogspot.com

Ninguém se ria...

Esta época:

Arsenal 4 - 0 FC Porto
Brasil 6 - 2 Portugal
Sporting 2 - 5 Barcelona
Olympiacos 5 - 1 Benfica

PS: Escusam de vir com "Ah, mas eu fui enrabado com preservativo de ouro" - não deixou de ser a sangue frio.

Benfica protagoniza tragicomédia grega

Olimpiacos 5 - 1 SL Benfica
(David Luiz)



O Benfica ter-se-à despedido da Taça UEFA, ontem, deixando a pior das imagens na montra europeia. O super-plantel de Quique (sem ironia) confirmou a tendência Outono-Inverno das equipas portuguesas, e protagonizou mais uma goleada sofrida - depois do Porto (em Inglaterra), da Selecção (no Brasil) e do Sporting (contra o Barça), a correr mal a alguém, teria de ser ao Benfica. Não o digo por calimerismo, apenas porque é fácil de se ver que construir uma equipa e atacar as competições caseiras é uma coisa; ter pretensões de se fazer o milagre de impressionar a Europa do futebol é outra.

O agoiro começou com a conferência de imprensa que projectava o jogo, e em que Quique já dizia satisfazer-se com o empate. Ele estudara o adversário, sabia o que dizia. Mas não há táctica que resista a um golo aos 40 segundos, nem à eficácia dos gregos. O Benfica podia ter jogado melhor, mas Valverde, treinador dos gregos, também estudou a lição e mordeu o Benfica no seu calcanhar de Aquiles: pressão imediata à saída do sector defensivo. Sem Carlos Martins ou Katsouranis para fazer o jogo respirar logo à saída da defesa, esta equipa sofre. E, com ela, sofrem os benfiquistas. Soluções, precisam-se!

Assim que o primeiro golo grego entrou, logo aos 40 segundos, tive um flashback que me arrepiou a espinha. Tamanhas foram as facilidades dos golos seguintes, que o fantasma dos Balaídos se me assombrou a televisão. David Luiz ainda compensou 1/4 dos desastres que protagonizou na defesa, e reduziu para 3-1. Ao intervalo, quatro remates dos gregos em 45' tinham resultado quatro golos. Pior é impossível.

O segundo tempo foi um teste à paciência de qualquer benfiquista - já se sabia que, no futebol, não há milagres, pelo que penso que a vontade de soprar para os ponteiros dos minutos terá sido generalizada. As substituições não acrescentaram nada à equipa, e o Benfica ainda sofreu mais um golo.

No final, Quique pediu desculpas aos benfiquistas e, mais uma vez, fez uma análise fria e acertada do jogo que há segundos terminara. Fez bem ao não despejar as culpas para ninguém, mas a verdade é que, se não fosse o registo de Vigo, esta teria sido a pior goleada de sempre do Benfica, em competições europeias. Não é normal o Benfica "apanhar" cinco, seja de quem for!

Anteontem à noite, no fim da goleada do Barcelona a mais uma equipa, pensei "se fosse sportinguista (*gulp*), o que pensaria, para amenizar a dor?" Eles lá saberão; no que toca ao meu clube, resta-me continuar a pensar que esta competição é um "estorvo" a uma equipa que se está a construir e que não precisa de pretensões como "ganhar a UEFA"; nem "ganhar o campeonato" foi exigido ao treinador - esta derrota foi uma descida à Terra.

Num último comentário à prestação do Benfica nesta Taça UEFA, o que me chateia mesmo não é ter perdido, apesar de ter perdido de forma tão cruel (porque nem se pode argumentar que se jogou bem); o que me chateia mesmo é ter perdido em casa com o Galatasaray. Uma vitória em casa e dois empates fora chegavam bem para as contas. Assim, não.

Lição aprendida, a melhor maneira de esquecer esta derrota é ganhar o jogo de segunda-feira.

quinta-feira, novembro 27, 2008

Motivação

Ainda o Brasil-Portugal

«Repare-se, por exemplo, no caso de Danny, a mais recente aquisição da Selecção. Na penúltima jornada do campeonato russo, jogou em São Petersburgo, no domingo, dia 16; a 17, no dia seguinte, viajou para Lisboa, provavelmente via Frankfurt e talvez também com escala em Moscovo — um mínimo de oito horas de viagem, entre voos e aeroportos; nessa mesma noite, embarcou para um voo de dez horas até Brasília, saindo de uma temperatura de alguns dez graus negativos para as temperaturas do Verão brasileiro, a rondar os 35; no dia seguinte, treinou-se em Brasília e na noite seguinte, quarta-feira, a uma hora que para ele equivalia às 4 da manhã em S. Petersburgo, jogou contra o Brasil e até marcou o golo inaugural; terminado o jogo, seguiu-se hora e meia de autocarro e embarque para Lisboa, em novo voo de dez horas; desembarcado em Lisboa ao meio-dia de 5.ª feira, ei-lo a reembarcar para S. Petersburgo, via Frankfurt: mais oito horas de viagem, até chegar a casa, depois de ter percorrido 23 mil quilómetros em quatro dias; sexta-feira, acorda em S. Petersburgo e voa para Moscovo, onde, no dia seguinte, joga os 90 minutos no último e decisivo jogo do campeonato contra o Dínamo, em que o seu clube, o Zenit, disputava o 5.º lugar e a participação na Taça UEFA do próximo ano (o Zenit ganhou e Danny marcou dois golos e assistiu o terceiro); seguiu-se novo voo de regresso a S. Petersburgo e, enfim, o descanso. Imagine-se o entusiasmo com que ele irá receber no futuro novas convocatórias para jogos destes...»

(...)

«Em Brasília, ele [Cristiano Ronaldo] não se perdeu por cansaço nem por falta de talento: perdeu-se por falta de humildade, incapacidade de pensar na equipa e não apenas em si próprio, parecendo uma barata tonta às voltas com fintas falhadas e rodriguinhos sem sentido para impressionar as meninas da plateia. O problema de se querer ser vedeta todos os dias é que não se pode falhar dia nenhum... Ele é o número 1 do mundo? Ponha os olhos no Messi ou no Ibrahimovic e vai ver que não. Ou então, que alguém o ponha a ver os vídeos de um senhor chamado Eusébio da Silva Ferreira, que ganhava um centésimo do que ele ganha, jogava bem mais do que ele e era capaz de chorar depois de perder um jogo pela Selecção.»

- Miguel Sousa Tavares
in A Bola

O outro lado

«A BOLA — Trocar o Benfica pelo Bétis significou, naturalmente, melhores condições financeiras...

NÉLSON—Agora, estou numa posição muito melhor. Ganho sete vezes mais do que ganhava no Benfica! Foi um peso que tirei de cima. Agora, tenho condições para jogar mais tranquilo, posso dedicar-me plenamente ao futebol e não estar preocupado com outros problemas. Somos 18 irmãos, não sou responsável por eles, não me vejo obrigado a tomar qualquer atitude, mas sou sensível, tenho muitos sobrinhos que vivem com dificuldades. Mais que jogador, sinto-me um ser humano e nada me faz mais feliz que poder ajudar a minha família e em particular o meu pai, que passa por uma situação muito complicada após o acidente que sofreu na data do meu 23.º aniversario. Foi um enorme choque para mim e, a partir daí, fui vítima de constantes lesões.»

Nélson, antigo defesa direito do Benfica
- in A Bola
Assim, sim. Força, Nélson.

Ontem, hoje e amanhã



...Dois dias depois do FC Porto ter vencido justamente o Fenerbace, na Turquia, (excelente recepção em manchete, a repetir um gesto técnico que já se vira o ano passado - o homem é especialista!)...

...Um dia depois do pior resultado europeu de sempre, em Alvalade (com direito a olés dos sportinguistas à própria equipa!! e cânticos do Benfica por parte dos adeptos catalães - momentos históricos à sua maneira)...

...o Benfica prepara-se para defrontar o Olimpiacos, da Grécia, num grupo da UEFA que tem tantos campeões nacionais quanto o grupo do Sporting, na Champions (já nem menciono o FCP, único campeão nacional do seu grupo).

Pela primeira vez em muitos anos, o Benfica tem possibilidades (e estatuto para se dar ao luxo) de ter um banco com alternativas credíveis aos habituais titulares, à excepção do sector direito do terreno. David Luiz deverá ser o substituto de Luisão, assumindo Nuno Gomes a tarefa de pensar e escoar as jogadas atacantes dos encarnados.

Apesar de não acreditar nos vôos europeus desta equipa (principalmente após o desaire contra o Galatasaray, em casa), pode ser que se repita a vitória de há nove anos, já Nuno Gomes facturava pelo Benfica. Continuo a preferir sonhar com o campeonato - e, mesmo assim, não o exijo.

Força, Benfica!
Boa sorte, Braga!

quarta-feira, novembro 26, 2008

Wallpaper do glorioso

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Link directo para a imagem

Tenho orgulho neste Benfica



...Não apenas orgulho no Benfica que é a única equipa imbatível nas ligas europeias, à data deste post;
...Não apenas pelas personalidades com cargos de relevo na estrutura benfiquista que não confudem as árvores com a floresta;
...Não apenas porque alguém, finalmente, deixa o melhor presidente das últimas décadas fazer o que melhor faz: trabalhar;
...Mas, também (e principalmente), porque ninguém pisa os calos desta instituição grandiosa sem ficar em sentido.

Nem é preciso dizer que acredito num projecto de futuro, cujos resultados se podem ver no imediato. Numa época difícil, em que a sociedade, as circunstâncias e a Justiça são particularmente agrestes e austeras para com o português que não consegue tomar gosto nem ficar feliz pelo que quer que seja, haja Benfica.

O que diz Aimar

terça-feira, novembro 25, 2008

Opiniões

«Cristiano Ronaldo é um jogador muito sobrevalorizado. Quando não marca golos, o seu papel no campo está muito limitado. Torna-se num jogador medíocre.»
Marcos Senna, jogador do Villareal

«Cristiano Ronaldo é o melhor do Mundo. O que fez na última temporada foi incrível, ao ganhar a Premier League, a Liga dos Campeões e a Bota de Ouro - Ronaldo é uma máquina e um jogador incomparável.»
Fernando Torres, jogador do Liverpool

segunda-feira, novembro 24, 2008

Rir é o melhor remédio

Lapidar

«Sim, creio que é justo [os jogadores de futebol receberem tanto dinheiro]. Infelizmente diz-se que os jogadores ganham muito sem merecerem, mas o futebol é um negócio que gera biliões de dólares. O centro desse negócio são os jogadores e nada mais justo que aqueles que fazem girar esse negócio serem remunerados justamente»

- Kaká, o melhor jogador do Mundo

domingo, novembro 23, 2008

Prova superada com tranquilidade

Liga Sagres
Académica 0 - 2 SL Benfica

(Ruben Amorim, Cardozo)



O Benfica foi (veio?) a Coimbra derrotar a Académica, um ano depois da sua última derrota em casa (contra o Benfica, registe-se).

O jogo foi relativamente equilibrado até ao golo de Rúben Amorim (que se estreou a marcar pelo Benfica) brilhantemente assistido por Nuno Gomes. O avançado português fez parte de um lote de jogadores que não são habitualmente titulares (como Cardozo, Rúben Amorim, Bynia e David Luiz) e que começaram de início . Aimar, Suazo, Jorge Ribeiro, Katsouranis, Di Maria e Carlos Martins foram jogadores que, por impossibilidade física ou por opção técnica, ficaram de fora do "onze".

O Benfica segurou a vantagem até ao intervalo, e a segunda parte começou com um penalty "cavado" por Reyes. O espanhol terminou um slalom por entre vários jogadores da Briosa com uma queda após alegado toque de Pavlovic. Como Rui Santos disse, este é um daqueles lances em que ninguém fica chocado se o árbitro assinalar pénalti - eu ficaria chocado se não assinalasse, registe-se... Óscar Cardozo facturou, e a história do jogo morreu ali. Vitória justíssima para o Benfica.

Com este triunfo, o Benfica continua a um ponto do Super Leixões (ainda com Wesley) e a cinco do Sporting. O Porto não jogou, pelo que está a sete pontos de distância, com um jogo a menos. Acho que, em 27 anos de vida, não me lembro de olhar pelo retrovisor e ver o FCP a sete pontos de distância...

Quique Flores poupou jogadores para o jogo de quinta-feira, contra o Olympiakos. Será um jogo muito difícil, e que provavelmente ditará o afastamento dos encarnados da Taça UEFA - ganhar na Grécia vai ser extremamente complicado. Sou da mesma opinião do Carlos Martins, que prefere ser campeão nacional pelo Benfica a ganhar a Taça UEFA.

Força, Benfica!


Mostrem que estudaram bem a lição* e levem de vencida a querida Briosa!
___
*Termo para cumprir a quota mínima de metáforas relacionadas com a vida escolar que qualquer tema relacionado com a Académica acarreta.

quinta-feira, novembro 20, 2008

Brasil, 6 - Portugal, 2

Portugal perdeu 6-2. Fiquei acordado até às três da manhã – a ver o jogo e, depois, com insónias próprias de uma derrota pesada e humilhante. Apenas os comentadores da TVI – os mesmos de sempre –, para nos convencerem da impossibilidade de discutir, actualmente, taco-a-taco, o resultado de um jogo de futebol com a selecção brasileira. Para aqueles indivíduos, jogámos contra extraterrestres.

A equipa foi mal escolhida; mal montada; e sobretudo, a maioria revelou falta de disponibilidade física e mental para representar a selecção nacional. Carlos Queiroz voltou a errar; os jogadores voltaram a revelar e a provar incapacidade e falta de vontade.

O sucesso da selecção nacional é, sempre foi, um problema de mentalidade, que parte de dentro para fora (“alimentando” a auto-estima dos portugueses). Não falta talento ao nosso futebol (temos presente e futuro, como se viu na véspera)! Mas esta equipa carece de disciplina e humildade. Aguardamos impotente e pacientemente pelas correcções – e pelos jogos oficiais.

Viva o Benfica! Fora com os oportunistas!

As claques de futebol – dos clubes “grandes” – servem, e sempre serviram, para alguns indivíduos praticarem, livre e anonimamente, junto dos mais jovens, os mais variados actos ilícitos, onde se inclui o tráfico de drogas e armas. (porquê tanto espanto?)

A acção junto dos No Name Boys deixa o povo (onde me incluo) mais satisfeito e seguro. Eu sou do Benfica: gosto da opção da actual direcção – na figura do presidente Luís Filipe Vieira – ao não reconhecer nem apoiar, dentro e fora dos recintos desportivos, claques ilegalizadas ou grupos de criminosos.

Ao que parece, o DIAP de Lisboa funciona. Ainda bem! Resta saber, como cidadão português, se os outros departamentos – a polícia e a justiça – também. Sem influências ou intervenções de ricos e poderosos. Entretanto, fica uma sugestão de leitura (na foto), dirigida ao nosso Ministério Público, que pode desbravar algum caminho.
p.s.: num blog benfiquista esperava-se, certamente, refrerências à claque oficial SuperDragões, pelo facto dos seus elementos já terem roubado e espancado, de Norte a Sul do país, pese terem servido como escolta pessoal dos dirigentes do FC Porto aquando das repetidas presenças em tribunais. Ou então, ao facto de Fernando Madureira, líder do referido grupo oficializado de adeptos, ter adquirido, recentemente, a pronto e em dinheiro vivo, um restaurante na zona do Grande Porto, pela quantia de 25o mil euros. O dito dirigente - dono de automóvel da marca Porshe - declarou, à direcção-geral de impostos e contribuições, que ganha o ordenado mínimo (recordo que, actualmente, é de 425 euros).

Rude acordar



No dia em que a Selecção Nacional perdeu por seis, eu estava a dormir.

Pelos vistos, não era o único.

E a culpa, não se casa?

segunda-feira, novembro 17, 2008

Outro Benfica... outro Estrela... outros tempos!

Parabéns, Manuel José!



O Mister que, um dia, disse que «para treinar o Benfica até abdicava do salário», teve de emigrar para o Cairo, onde treina o "Benfica do Egipto".

Manuel José acaba de ganhar a quarta "Champions Africana", a sua 17ª final ganha, em 18 (!!!) pelo Al-Ahly. O desatino com o Sistema ostracizou o treinador que fez furor com o Boavista, no início dos anos 90.

No dia da vitória, dedicou-a a todos os portugueses que gostam de futebol. Parabéns, Manuel José!

Sidnei resolve

Liga Sagres
Benfica 1 - 0 Estrela da Amadora
(Sidnei)



O Benfica levou de vencida o Estrela da Amadora, uma equipa composta por jogadores que estão a trabalhar de borla desde o início da época. Apesar de continuar no segundo lugar, a um ponto do Leixões (que ganhou em Alvalade), a turma de Quique Flores mantém uma invulgar distância para os seus rivais históricos: quatro pontos de vantagem sobre o Porto, e cinco sobre o Sporting.

Não vi a segunda parte do jogo. A segunda parte, ouvi-a pela Antena 1. Do que vi, deu para reparar que a equipa entrou muito bem, com uma fluidez de jogo assinalável e que permitia criar lances perigosos, apesar da falta de acerto nos últimos metros. Ainda deu para ver Suazo a falhar um golo "certo" - lances típicos de equipas que acham que "o golo há-de acabar por chegar".

A fórmula da segunda parte terá sido algo baseado em transpiração, mais do que inspiração. O que importa é a vitória, pois, no fim das contas, o que importa são os pontos e não as vitórias morais - são os pontos que dão tranquilidade para treinar e jogar sem pressão, são os pontos que dão os campeonatos. Ainda falta muito para se jogar... há que continuar com os pés bem assentes na relva!

quinta-feira, novembro 13, 2008

Fogo Posto

«A venda de bilhetes está fraca e ainda não chegámos aos 200 bilhetes vendidos, mas as claques também ainda não estão inseridas, daí a estimativa de 500 adeptos do Vitória no Dragão. Os bilhetes são caros e o FC Porto, pela primeira vez, não aceitou fazer nenhum protocolo connosco, nem nenhuma permuta. Quando vierem cá vamos fazer a mesma coisa e vamos pôr os preços dos bilhetes a 15, 20 euros, conforme na altura nos der na real gana»

«esta posição do FC Porto está relacionada com o caso no TAS, só pode ser isso, porque pedimos atempadamente e insistimos esta semana apenas nos 200 convites para as claques e nem isso tivemos. O ano passado os bilhetes custavam 10 euros ao abrigo da permuta que também fizemos com o Benfica e demais clubes e foram 2500 adeptos ao Dragão»

«Nem resposta tivemos, foi tudo via telefone, através da nossa insistência. Por duas vezes disseram que não nos dariam bilhetes mais baratos e, sinceramente, não esperamos isto, porque quando vierem cá também vão ter necessidade e nós vamos dizer que não. Estão a confundir as coisas, aliás, são coisas mesquinhas e as permutas acontecem com qualquer clube e em todos os jogos, porque todos têm a ganhar com isso. Precisam de nós e nós precisamos deles, é uma estupidez andar aqui com estas guerrinhas. O FC Porto quis dizer que não quer nada com o V. Guimarães e está de relações cortadas. Oficialmente não tiveram coragem de dizer isto, o problema é deles»

«O FC Porto é obrigado a mandar os convites para a Direcção e convites de bancada. O presidente do Vitória e a Direcção vão ficar na tribuna do Dragão, mas não deve ser ao lado. O regulamente diz que o FC Porto tem de dar oito convites presidenciais. O FC Porto estava habituado a pedir oito, mais dez, mais um camarote e quando vier a Guimarães não levará nada, como imaginam. Levam os convites do regulamente e chapéu, porque os grandes clubes trazem um staff muito numeroso e nós cedíamos a tudo, mas com o FC Porto teremos de rever a situação»

«Quem não deve, não teme e vamos estar no Dragão. Na altura [recursos no TAS] o FC Porto olhou pelos seus interesses, como o V. Guimarães olhou pelos seus. Senão não andavam a correr para os tribunais da Suíça. Se ninguém nos receber no Dragão será normal. É preciso separar o trigo do joio, cada macaco no seu galho. Qualquer pessoa de bom senso sabe que é assim: o FC Porto não tinha nada que ter este comportamento, querem continuar a ser os reis do Norte, que o sejam à maneira deles»


Aberto Oliveira,
Vice-Presidente do Vitória (de Guimarães)

quarta-feira, novembro 12, 2008

O Penafiel que (não) chegou a acontecer




Não é o Flamengo, é o Union: o Real Madrid foi eliminado da Taça do Rei (que é adepto do clube madrileno...) por um clube da II-B!

terça-feira, novembro 11, 2008

Então, meninas?

Não se peguem...

E a "dobradinha" aqui tão perto...

Dispenso referir – ou até sublinhar – males alheios; mas este fim-de-semana teve momentos risíveis.:

1. Paulo Bento criticou Bruno Paixão – e incentivou à violência (o que é crime público). Fez bem (no caso do árbitro, obviamente)! O juiz setubalense é obviamente incompetente e, mais uma vez, prejudicou o espectáculo. Mas atenção: de três penáltis não assinalados, dois beneficiaram o FC Porto (refiro-me às faltas de Anderson Polga e Rui Patrício, ambas sobre Hulk; a outra é a de Rolando, por mão na bola. No lance entre Rochemback e Rolando, já no prolongamento, o jogo estava parado). E as expulsões são todas bem avaliadas – embora o critério disciplinar tivesse carregado de incoerência.

2. O Núcleo do Sporting na Pedrulha (Coimbra) assinalou, este fim-de-semana, mais um aniversário. O "ponto alto" foram as homenagens a duas figuras ímpares na história do clube: o ex-presidente Jorge Gonçalves e o ex-jogador João Vieira Pinto. Boas escolhas (que dizem tanto)!

3. O FC Porto - o que ganhou em Kiev e em Lisboa - ainda é o pior dos últimos 10 anos; estou curioso, actualmente, para perceber quem "manda" naquele balneário: Bruno Alves, Pedro Emanuel ou o clã argentino. Entretanto, já se percebeu que Nuno "manda" no "banco" (na asuência de Pedro Emanuel). O aparecimento de Hulk - jogador com enorme potencial, pese a sua imaturidade táctica -, com um valente "vai tomá no cú", bem dirigdo a Lisandro Lopez, poderá complicar as contas.

Benfica pass(ei)a na Taça

Benfica 3 - 0 Desportivo das Aves (Liga Vitalis)
Yebda, Luisão, Maxi Pereira


Depois do jogo sofrível contra o Penafiel, o Benfica de Quique apresentou a sua outra "primeira equipa", decidido a ganhar o jogo desde cedo. Yebda encarregou-se de marcar ainda antes dos 5 minutos, com um cabeceamento de alto requinte técnico (ao contrário do "lendário" golo do Marcelo, este tinha mesmo de ser marcado com a cabeça).

As facilidades continuaram durante a primeira meia-hora, que foi o tempo necessário para o Benfica ampliar a sua vantagem para 3-0. Curiosamente, não foi nenhum avançado a marcar os restantes golos. A impressão que fica é que Suazo não quis e Cardozo não conseguiu...

O paraguaio não atravessa um bom momento - as suas movimentações são perras (é um jogador para o toque final) e nota-se que não há prazer em jogar futebol. Algo se passa com Cardozo.

Como nota positiva, realce-se o regresso de David Luiz, que terá de lutar (muito) para roubar o lugar a Sidnei. Diria mesmo que está atrás de Miguel Vítor, na lista das prioridades de Quique, para o sector central da defesa.

Costuma dizer-se que é difícil encontrar-se motivação para os jogadores das equipas "grandes" defrontarem equipas "inferiores". Quique terá passado a mensagem e, se o jogo foi fácil, mérito haverá para todo o conjunto encarnado, que o tornou fácil.

O Jamor já esteve mais longe... mas o que eu quero mesmo é ganhar o campeonato.

Novo layout do blog

Lamento, mas com esta mudança de layout (em permanente actualização), os comentários do Haloscan foram-se. Tinha de ser.

sexta-feira, novembro 07, 2008

Força Benfica!

O Benfica nunca terá tocado no céu; muito menos chegou agora ao Inferno – como parece hoje afirmar, em uníssono, a imprensa da especialidade (e, é claro, os adeptos adversários).

O Benfica tem o melhor conjunto de atletas do futebol português. A melhor equipa técnica, se comparada com a dos outros “grandes”. E a melhor estrutura – competente e honesta –, sobretudo aquela “ponte” personificada em Rui Costa, entre balneário e direcção.

Ainda falta, obviamente, espaço e tempo para a equipa alcançar regularidade exibicional e estabilidade emocional, qualquer seja o jogo ou competição. É necessária paciência: e ontem, os sócios e adeptos do Benfica, presentes no Estádio da Luz, provaram, finalmente, disposição para aguardar, renovando – através da ovação a terminar o encontro – a confiança neste projecto e nos seus protagonistas.

O Benfica está no bom caminho; e acredito que surjam as primeiras (de muitas) alegrias, já a curto prazo. Viva o Benfica!

A análise do "Menino de Ouro"

A análise de JVP

Benfica | Galatasaray
1 | Velocidade a funcionar

Este é um daqueles jogos que têm de ser partidos para melhor se tentar explicar o que aconteceu, porque ontem houve dois Benficas: um veloz e vivo que criou oportunidades que não concretizou; outro que se anarquizou, foi dominado e permitiu que o adversário criasse situações de golo que só é costume ver nas peladas, durante os treinos.

Depois de um começo equilibrado, com uma oportunidade para cada lado, o Benfica foi-se superiorizando e criou mais oportunidades de golo, principalmente quando jogava em velocidade e utilizava lançamentos em profundidade, para aproveitar as características de Suazo. Foram 45 minutos muito interessantes por parte do Benfica, que conseguiu pôr a nu as limitações do Galatasaray, uma equipa bastante experiente nestas andanças das competições europeias, mas que se deu mal sempre que foi pressionada. Só que a equipa portuguesa não aproveitou a metade do jogo em que foi melhor e depois sentiu amargos de boca.

2 | Desorganização e anarquia benfiquista

Depois do jogo com o Guimarães, pode pensar-se que Quique Flores arriscou demasiado ao introduzir alterações no onze, mas não creio que estivesse aí o problema. Este plantel do Benfica permite ao treinador, pelo menos do meio-campo para a frente, fazer a rotatividade que entender. Além de que as alterações feitas não foram propriamente decisões de risco, pois o Nuno Gomes antes de sair da equipa em Guimarães estava a jogar muito bem e o Di María é sempre uma incógnita, podendo-se sempre esperar que faça coisas diferentes. O bom resultado e a exibição de Guimarães não eram razões suficientes para que o treinador não mexesse na equipa. O problema foi a falta de organização e também não me pareceu que houvesse voz de comando. Pelo menos dentro do campo.

3 | Oportunidades que só se vêem em peladas

Com o Benfica incapaz de perceber o que se passava à sua volta, mesmo depois das entradas de Aimar, Carlos Martins e Cardozo - numa equipa à deriva nada acrescentaram, o que fizeram foi mais do mesmo -, o Galatasaray jogou tão à vontade no meio campo benfiquista que criou situações de golo que pareciam coisa de pelada durante um treino. Lances de todo invulgares a este nível, mas a verdade é que aconteceram. Era fácil perceber que os turcos estavam mais perto do segundo golo do que os benfiquistas de chegarem ao empate, até que chegou o segundo golo, de uma forma fácil, com a defesa do Benfica em linha e muito junta, fazendo uma oposição passiva. Culpa do meio-campo, que não pressionou o portador da bola, do Di María que não acompanhou a entrada de Akman no corredor esquerdo, e dos centrais, que deixaram Umit Karan isolado. Vi e revi as imagens do segundo golo, que são o retrato fiel do que é uma equipa partida. De resto, o Benfica atacava com cinco unidades que não voltavam para trás, deixando as questões defensivas para os quatro defesas mais o trinco. Uma desorganização crescente que levou à total perda de controlo. Enquanto isso, o Galatasaray da segunda parte foi uma equipa madura, que soube esperar pelos momentos certos para desferir os seus golpes e ganhar com justiça.

4 | Plantel permite rotatividade tranquila

Depois do intervalo, o Benfica voltou a revelar problemas que já se lhe tinham visto nos jogos iniciais da época mas que nos últimos jogos pareciam estar ultrapassados. A equipa regressou ao campo apática. Incompreensivelmente, deixou de pressionar, deixou de aplicar velocidade nos movimentos ofensivos e passou a ter mais dificuldade em comandar o jogo, ataque que acabou mesmo por ceder o controlo aos turcos. Experiente, o Galatasaray percebeu as fragilidades do Benfica, cresceu, pegou no jogo a seu bel-prazer e abriu o activo. Um golo que se adivinhava, pela forma desligada como jogava a equipa da Luz. Após o golo, quando se pensava que iria reagir de forma positiva, o Benfica desorganizou-se, anarquizou-se, a equipa partiu-se e o Galatasaray jogou como quis, utilizando a possa de bola como arma e chegando à área encarnada com facilidade e sem oposição.

5 | O Meira que se esperava

Sobre o Galatasaray vou dedicar algumas linhas ao Fernando Meira, que fez na Luz a exibição que sempre se espera dele. Certinho, prático, utilizando processos simples e eficazes, liderou a equipa turca em termos defensivos, mas não limitou o seu papel às tarefas de médio mais recuado. Pelo contrário, acompanhou a equipa nas saídas para o ataque e pudemos até vê-lo junto à área do Benfica.

6 | Parabéns ao Braga

Uma referência também ao Sporting de Braga, que está de parabéns, pela atitude que demonstrou num estádio sempre difícil e frente a um adversário mítico e sempre muito forte. O resultado foi uma tremenda injustiça, pois a haver um vencedor deveria ter sido o Braga. Parabéns também ao Jorge Jesus, que foi a S. Siro jogar com cinco elementos de características ofensivas no cinco inicial. Ou seja, manteve-se na senda daquilo que tem sido o brilhante comportamento do Braga nas competições europeias.

- João Vieira Pinto, in O JOGO

O golaço de Ronaldinho contra o Braga

Galatasaray congela ambições europeias do Benfica

Benfica 0 - 2 Galatasaray (Turquia)
Taça UEFA - Fase de Grupos
2º Jogo



O Benfica perdeu justamente contra o Galatasaray que, segundo Fernando Meira, terá feito a melhor exibição da época.

Apesar do talento de Suazo, o resto da equipa não encontrou soluções para o ataque - não se viram jogadas básicas e características do bom futebol. Na defesa, ficam na retina os lances que colocaram a nú as fragilidades encarnadas: a falta de rapidez dos defesas, nos passes a rasgar (principalmente no lado de Maxi e Luisão), e a falta de reacção (patente nos dois golos turcos).

Não é o fim do mundo: não temos de ir à Turquia vencer por três, e ainda temos mais dois jogos (Olimpiakos da Grécia e Metalist da Ucrânia, se não estou em erro) para provar que merecemos um lugar na fase seguinte.

Antes do jogo começar, refreei os ânimos de um amigo benfiquista: não se pode exigir o título nacional nesta época; muito menos um título europeu. Quique já avisava que este Benfica ainda não tinha asas para voar, e é bom que os benfiquistas também o saibam. Se a nossa luta for "apenas" a Liga Sagres, a Taça do Banco e a Taça da Cerveja, que seja.

PS: parabéns ao Braga, que ontem se bateu com um colosso mundial recheado de estrelas no seu reduto, e que se bateu de igual para igual. Jesus terá a sua hipótese.

quinta-feira, novembro 06, 2008

Hoje não é um dia qualquer...



...HOJE JOGA O BENFICA!
Na Benfica TV, está claro!

A minha aposta:
Quim
Jorge Ribeiro, Sidnei, Luisão e Maxi
Yebda e Katsouranis
Reyes e Amorim
Aimar
Suazo.

Suicida



«Temos muita coisa para lhe oferecer. Praia, casino, a Espanha aqui mesmo ao lado¿ Não lhe faltaria nada.»

Carlos Martins, presidente do Beira-Mar de Monte Gordo, que pretende contratar Mário Jardel

A publicidade já ninguém lha tira.

É preciso o André Luiz fazer bosta (uma zequinhada)...



...para se ver que o Carlos Alberto até tem "cabecinha".

segunda-feira, novembro 03, 2008

1887-2008; a Académica faz hoje 121 anos

Sou de Coimbra: nascido e criado – o que me “enche” de orgulho. Não entendam esta última frase como presunçosa ou vaidosa (como já me acusaram por diversas vezes). Simplesmente nutro um sentimento – alheio racionalmente a mim próprio –, que me faz adorar, mais do que a qualquer outro ponto do país, a cidade e o distrito de Coimbra. O que, aliás, não me impede de reconhecer, talvez até com mais facilidade, virtudes e defeitos daquela terra e daquela gente.

Gosto de Portugal e dos portugueses. Mas a minha casa é Coimbra. Por isso mesmo, as pessoas e as pedras da minha cidade são, para mim, especiais. Assim como o azul do "seu" céu ou o verde das "suas" árvores; ou até mesmo o ar que por lá respiro.

Sou do Benfica e da Académica. Da Académica ou do Benfica. Nunca me importei com pormenores; nem aceito criticas: afinal, o coração é meu e, ainda assim, não o consigo controlar. De qualquer das formas, em dias de encontros a vermelho e preto fecho as janelas e as luzes, desligo televisões, rádios e telemóveis. E vou para a cama mais cedinho. Costumo saber das coisas no dia seguinte – quando me é permitido – e passo a prestar atenção ao quadradinho que me indica a “Próxima Jornada” e me acaba com o sofrimento. Enfim, são só algumas horas de total descontrolo físico e emocional (depois volto tudo ao normal, penso eu!)

A Associação Académica de Coimbra comemora hoje (dia 3 de Novembro) 121 anos de vida! Para quem não sabe, o meu sonho (realista) é ver a Briosa vencer no Jamor (a exemplo de 1939) e a regressar às competições europeias.

Yo no creo en brujas, pero que las hay, las hay...

Não quero estragar este (bom) momento desportivo – recheado de entusiasmo e optimismo –, fazendo referência aos árbitros do “nosso” futebol ou, pior ainda, aos critérios adoptados pela Comissão Disciplinar da Liga, na aplicação de processos sumaríssimos.

Os factos, ocorridos nas duas últimas jornadas, falam por si: os penáltis sobre Ruben Amorim (Naval) e Pablo Aimar (V. Guimarães); ou os lances protagonizados pelo “leal e forte” Bruno Alves, “capitão” do FC Porto – e recentemente promovido às funções de tradutor, entre plantel e elementos da guarda Pretoriana de Pinto da Costa.

Alerto para duas situações que, apesar de justificadas oficialmente, não posso deixar de classificar como “anormais”: as lesões não especificadas – nem públicas, já que ambas ocorreram durante treinos – de Wesley, do Leixões, e de Marcelinho, da Naval, em vésperas de recepção ao FC Porto.

Dois jogadores que, felizmente, não sofriam de qualquer mazela por altura do encontro com o Benfica. Ambos marcaram ao nosso clube, justificando o estatuto de melhores finalizadores e marcadores das respectivas equipas; Wesley recuperou, este fim-de-semana, totalmente (e voltou a marcar); certamente que Marcelinho, dentro de oito dias, também já estará a 100 por cento.

Haja coragem*...

“Há uma promessa que antes de acabar o meu mandato, ou a passagem pelo Benfica, vou concretizar, e passa por voltarmos ao passado. Quando era miúdo via jogos no estádio da Luz, as 15 ou 16 horas. Essa foi uma coisa que prometi ao meu pai, que faleceu, e vou cumprir.”
- Luís Filipe Vieira


*chega de promessas. Quero jogos à tarde!

Jardim de Rodin # 3



Força, master kodro... do your best.

(Nem) Freud Explica

Para a posteridade

Benfica entre gala e trabalhos forçados

Vitória SC - SL Benfica
1 - 2

(Suazo, Sidnei)




O Benfica conseguiu manter-se à frente dos seus rivais históricos, após exibição personalizada e inteligente em Guimarães. Durante a primeira parte viu-se um bom jogo de futebol, com o Benfica a dar a iniciativa do jogo ao Vitória (a estatística da posse de bola merece análise própria), mas com uma pressão imediata sobre o sector defensivo dos vimaranenses, que se viam forçados a jogar mal.

Aos 15', o regressado Aimar mostrou o que pode trazer ao Benfica - classe. Através de uma assistência "de letra", coloca Suazo perante dois defesas vitorianos que, incapazes de susterem o misto de técnica e força do hondurenho, não conseguem impedir o primeiro golo do Benfica. Aquele movimento do Suazo já eu tinha visto no YouTube... agora, serão os centrais do Vitória a ter pesadelos... negros.

Três minutos depois, Aimar sofre (nova) carga e arranca uma falta do lado direito do ataque benfiquista. Reyes consegue mais uma assistência para golo, ao servir Sidnei com um cruzamento açucarado. Previsível, para quem vinha a acompanhar os últimos jogos do Benfica - os pupilos de Cajuda estavam a dormir durante a palestra.

Douglas ainda consegue reduzir para o Guimarães, pouco tempo antes de Reyes ser expulso. O espanhol foi (justamente) sancionado com dois cartões amarelos em cinco minutos e comprometeu toda a segunda parte do Benfica.

Com um jogador a menos para os últimos 45 minutos, Quique abdicou do ataque. Parece que a palestra administrada ao intervalo foi bem recebida pelos jogadores, que foram solidários entre si e ajudaram-se mutuamente de forma a conseguir arrancar uma preciosa vitória fora de portas. Já sem Aimar em campo, o Benfica conseguiu manter o perigo longe da sua área. Para ser sincero, só comecei a "sofrer" a cinco minutos do fim (que só chegaria dez minutos depois) - e apenas por ver o avançar do tempo.

O treinador do Benfica e o resto da equipa estão de parabéns. Até Paco entrou em campo para ganhar uns segundos! Talvez não devesse ter continuado no banco, mas isso é um erro menor para quem não assinalou um penalty sobre Aimar (que, valha a verdade, já ia em queda quando foi varrido dentro da área vitoriana) e não expulsou quem pontapeou Suazo na face. Ia dando, Xistra...


quinta-feira, outubro 30, 2008

Feliz Natal!

Provocação #2*


"Isso é daquelas perguntas a que não sei bem o que responder, até porque nunca se sabe"
João Moutinho, capitão do Sporting, quando questionado se gostaria de jogar no Benfica

Ó Moutinho... até te tenho como bom rapaz e gosto das tuas qualidades humanas e futebolísticas.

Mas... não sabes que não se deve responder a este tipo de perguntas? Quando é assim, chuta para canto, diz que não pensas nessa hipótese pois agora és capitão do Sporting e representar o eterno rival é um cenário muito improvável, etc.

Caíste na esparrela de ser politicamente correcto, em vez de seres simplesmente mentiroso. Até porque NINGUÉM vai querer saber do resto que dizes, que é:

O que é certo é que estou muito bem no Sporting e se um dia sair, a minha prioridade, se tiver de voltar a Portugal, será o Sporting. Isso sem dúvida nenhuma.


Fala-se do trabalho de João Gabriel no Benfica, mas, houvesse um director de comunicação no Sporting, e este episódio nunca aconteceria... Mais uma acha para a gigante fogueira de Paulo Bento...

*A outra provocação foi o devaneio que foi o post anterior. Tendo em consideração que este blog é frequentado por cerca de 20/40 pessoas por dia, fico triste que ninguém tenha dito sequer um "ai"...

terça-feira, outubro 28, 2008

E se...

O Benfica contratasse Lucho ou Lisandro no fim da época?

Digam lá que não era giro...

segunda-feira, outubro 27, 2008

A vida não está fácil (ou coisas do futebol "deles" 2)

Não parecem de resolução fácil, ou pelo menos imediata, os “problemas” que Paulo Bento tem em mãos. O técnico do Sporting tem valorizado – acima de qualquer outra questão – o cumprimento das regras internas, procurando na disciplina do plantel a obtenção e consolidação de (bons) resultados desportivos.

Stojkovic e Vukcevic foram “riscados”, depois de reivindicarem publicamente a titularidade; o “braço-de-ferro” resultou, na prática, no enfraquecimento da equipa, do ponto de vista desportivo (aliás, o único ponto de vista visível). Ao Sporting falta qualidade e confiança. As opções são poucas, e muitas das que resistem, mantendo a confiança de Paulo Bento, mais parecem esperar pelo final da época – esperançados em, ao contrário do sucedido no último defeso, finalmente conseguir o tão desejado “salto” na carreira.

O técnico Paulo Bento já provou ser teimoso. O (melhor) exemplo prático deste facto é mesmo a opção pelo moderno 4x4x2 losango; esta insistência, tem contribuído decisivamente para a anulação, fácil e recorrente, por parte de qualquer adversário, da construção do seu jogo ofensivo. Torna-se mais fácil defender, mas também atacar (uma rápida transposição, com abertura das alas e apoio das laterais, criará sempre desequilíbrios perante as dificuldades de movimentação de alguns dos habituais médios interiores leoninos).

Não me importando, em demasia, com os “problemas” dos outros, fica a minha declaração, numa fase ainda embrionária (mas cada vez mais optimista) do campeonato: isto fica para decidir entre FC Porto e Benfica; considerando que os dragões estão no seu “ano não” (há que aproveitar rapaziada!, mesmo que o projecto esteja ainda no início). Se não houver alterações em Alvalade, na forma e no conteúdo – na táctica e nos nomes (de treinadores e jogadores) –, este Sporting é “presa fácil”. E, certamente, perderá muitos mais pontos por outras capitais portuguesas (dos Móveis e não só).

Saudações benfiquistas

Sem comentários (ou coisas do futebol "deles")

Benfica encontra Vitória a minutos do fim

Liga Sagres
Benfica 2 - 1 Naval
(Luisão, Cardozo)



1. O desaparecimento da águia Vitória, assustada com os confétis da festa dos cinco anos do novo Estádio da Luz, foi um mau prenúncio para o jogo de ontem. Com Suazo a ocupar o lugar de Cardozo, que havia rubricado uma exibição medíocre na Alemanha, a equipa de Quique contava também com Yebda, que recuperava o seu lugar no onze inicial. Apesar de Maxi Pereira já se assumir como defesa-direito, o treinador espanhol preferiu apostar na ajuda que Rúben Amorim dá ao uruguaio, ao invés de tentar a sorte com a velocidade de Di Maria.

2. Não vi o jogo todo, mas ficam-me na memória alguns erros graves da equipa de arbitragem: um penalty não assinalado sobre Rúben Amorim e um fora-de-jogo mal assinalado à turma da Figueira da Foz. O jogador navalista ficaria isolado perante Quim! Há ainda um toque de Sidnei, com a coxa, num jogador da Naval, que me parece ter tido grande influência na queda deste. O árbitro decidiu punir o jogador Navalista com um cartão amarelo.

3. Mais um passe teleguiado de Reyes, desta vez a assistir Luisão. O xerife voltava a marcar e o público serenava. Por esta altura, já Quique estava com os nervos em flor, pois os jogadores faziam-se de esquecidos em relação às "lições" ministradas durante a semana - palavras dele, adaptação livre.

4. O golo da Naval foi tão caricato quanto previsível. A equipa da Luz estava a defender muito atrás, e a bola queimava nos pés. Nem Katso, nem Martins (os supostos cérebros da equipa) conseguiam gerir a posse de bola como o contexto obrigava, e a Naval marcava... de joelho.

5. Cardozo, sempre ele. Este jogador tem um faro pelo golo como há muito não se via num jogador que vestisse o Manto Sagrado. Por vezes, passa por completo ao lado do jogo, não trabalha, é estático e desplicente. Enerva. Compensa com verdadeiras «solhas» plenas de veneno, e marca muitos golos. Imaginem se soubesse jogar de cabeça...

6. Jorge Ribeiro assistiu Cardozo de forma milimétrica. É neste aspecto que o português se superioriza a Léo, que nem cruza com tanta precisão e intensidade, nem tem no remate a arma temível do irmão de Maniche.

7. Três anos depois, o Benfica ultrapassa o FC Porto na classificação da Liga Sagres. Sinal dos tempos? Esta jornada teve um gosto especial, pois o FC Porto perdeu com o Leixões (lembro-me da risota que o empate do Benfica em Matosinhos provocou aos rivais da turma da Luz), e o Sporting não conseguiu vergar o Paços em casa. Paulo Sérgio pode não ter a equipa mais bela do mundo, mas sabe retirar-lhe um aproveitamento assinalável. Ao assumir que não tinha engenho para atacar decentemente, apostou na solidez defensiva, com sucesso.

sexta-feira, outubro 24, 2008

Benfica cumpre mínimos...

Taça UEFA - Fase de Grupos
Hertha 1 - 1 Benfica

(Di Maria)



O Benfica continua a não conseguir ganhar na Alemanha. Depois de um início de jogo verdadeiramente auspicioso, a turma de Quique Flores (sem Yebda, por motivos físicos, e com Carlos Martins e Suazo a suplentes) desapareceu depois dos 25 minutos.

Depois do intervalo, a equipa refrescou-se com Suazo (Cardozo funciona melhor em jogos em que o Benfica é a facção dominadora) e conseguiu marcar num lance de contra-ataque. Bom trabalho de Suazo, a preparar a jogada, um passe de morte de Nuno Gomes com força, direcção e timing perfeitos, e a velocidade de Di Maria fez o resto. O remate do argentino foi feliz - a finalização deverá ser uma característica a trabalhar exaustivamente.

A vantagem no marcador surgiu sem que a equipa portuguesa fosse claramente superior à germânica. Pelo contrário, o Benfica jogou na especulação, à espera de um erro do adversário (e foram alguns...).

O sector defensivo dos encarnados caracterizou-se por uma solidez impressionante, em que pontificaram Sidnei e Luisão. Foi, aliás, após mais um bom corte de Sidnei que a bola sobrou para Pantellic, um talento nato que não teve problemas em marcar um golo de levantar um estádio. Voronin ainda falharia de forma escandalosa o golo que decidiria o jogo a favor do Hertha.

No final de contas, Quique foi ganhar um ponto à Alemanha. Para quem não queria perder, é missão cumprida.

"O Nuno Gomes fez um excelente trabalho pela boa leitura do jogo, esteve sempre onde a equipa precisava. Precisamos de jogadores assim. O plantel é jovem, mas acredito que, com o tempo, os jogadores vão crescer e ter uma melhor compreensão do jogo"

Quique Flores

quinta-feira, outubro 23, 2008

O outro Nélson




Gil Gomes. Foi dos primeiros nomes do universo da bola que memorizei.

Parece que está a ter, fora do relvado, a sorte que não conseguiu ter dentro destes.

Boa sorte, eterna promessa.